expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

quero vontade.

Chegamos a uma etapa na nossa vida, onde já possuímos mais maturidade, e concluímos afinal que.. a vida não passa de um fantasma que passa por nós e consome as nossas forças, muitas vezes até aquilo em que acreditamos. Retira-nos a nossa energia.. desgasta a nossa imagem, é como se a idade já pesasse nos nossos corpos e nas nossas mentes ainda jovens e somos tão novos ainda, e a nossa vontade.. essa também nos é retirada, com punhaladas nas costas.
O tempo tornamo-nos seres estranhos, horríveis, insasiáveis, cheios de mágoa, seres destruídos pelo tempo sem qualquer valor para a sociedade. Já ninguém nos olha da mesma maneira que quando éramos crianças.. todos nos apertavam as bochechas, até aqueles que nem nos conheciam, e agora? O que há de diferente?O que é que mudou?

Olhamos para os inúmeros dias que passámos na ignorância, olhamos para o que somos hoje e notamos que já não possuímos o mesmo encanto.
A vontade de viver é menor, e os sonhos não passam de meros anseios guardados a sete-chaves dentro de uma gaveta ao lado da nossa cama.. e as chaves.. alguém sabe delas? Não me lembro sequer de as ver..
Esses sonhos que tivemos já não possuíem o mesmo valor de há uns anos atrás, os sonhos são anseios de uma nova realidade que nunca irá acontecer. A vida é tempo, o tempo é igual a cansaço.

A idade é o quanto nos sentimos, os anos são só números que vamos somando todos os anos, e que nos fazem sentir mais velhos, mais importantes, mais responsáveis, e mais... Ignorantes. A ignorância, essa sim está presente todos os dias, pois nunca sabemos o que por aí vem.
O que será de mim assim.. se apenas a idade chega e se as mudanças não acontecem?
Sinto falta de muita/pouca coisa.. apenas me falta a vontade para acordar demanhã, de aguentar o dia de olhos abertos, de ver coisas que não gosto, sentir as coisas na pele que me dão nojo, de ouvir aquilo que dói no coração. Se desejasse isto pelo Natal será que conseguiria receber como presente?
Gostaria que um dia lessem estas palavras, para que finalmente me compreendessem melhor e não me julgassem como o fazem todos os dias.

Quando me sento aqui, á secretária é porque vou escrever mais um capítulo, e aí é que eu me sinto no meu pior. Porque.. quando escrevo é porque mais uma vez não me encontro nos meus melhores dias.. e lamento imenso por isso. Peço desculpa a mim mesma, de me sentir tão fraca e tão cansada.

C.C

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela tua visita! Responderei a todos os comentários na respectiva publicação.

C.C