expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

.


Já te imaginaste longe de tudo e de todos, longe dos problemas e daqueles dias maus e sucessivos?
Já pensaste ser impossível chorar uma noite inteira, sem parar?
Já pensaste em desisir? em deixar de dar luta?
Já pensaste em fugir?
Já pensaste em atirar tudo pela janela fora?
Já pensaste em gritar para que todo o mundo te oiça, que sofres e que choras, e que ninguém quer saber?

Tanta coisa nos passa pela cabeça, a todo o instante, as ideias são tantas, os anseios são tantos, o desespero, o sofrimento; tudo nos passa pela cabeça a uma velocidade impressionante. Continuo sem ver possibilidades menos loucas e radicais, não vejo outra solução a não ser, a companhia de mim mesma, manter-me no centro deste tornado, de olhos tapados. Sem ver, sem ouvir aquilo que está a volta e que só nos atormenta e faz ter ideias destas para solucionar vidas assim.

C.C

terça-feira, 23 de novembro de 2010

antigas realidades.


A minha vida mudou, parece que encarnei o corpo de alguém que não é o meu, vivo a vida que não é a minha. Ou pelo menos, vivo uma outra realidade, diferente da que vivia há uns meses atrás. Parece estúpido, e parece que faço da minha vida um drama, mas a verdade é que..

Os meus dias mudaram.. agora parecem todos tão iguais, tão fatigados e tristes. Passo-os assim, encostada a uma parede branca e recordo-me de como era antes.

Já sem horas para dormir, sem horas para acordar, nem horas para comer.
A rotina já não é a mesma, agora a mente foca-se em tão pouco e em tão grande responsabilidade. Rersponsabilidade essa, que já me cansa, mas é esse o objectivo do momento.

A vontade já começa a não ser a mesma.. já me sinto mais angustiada, já me apetece desistir de tudo aquilo que prometi a mim mesma de concretizar.
Os meus dias tornaram-se vazios,agora mais do que nunca; sem ambições, sem horários, sem conteúdo. Pergunto-me se os próximos meses também serão assim.
Que venha o novo ano, e em força, quero mudanças.

Sinto a falta dos velhos dias, em que havia sempre grandes gargalhadas sobre tudo e mais alguma coisa, havia entusiasmo, uma companhia constante. Não havia espaço para estas 'tretas' que por aqui se escreve, que aqui se expressam. Não havia espaço para tristezas, como as dos últimos tempos. As saudades são muitas.

Estas são agora aquilo a que chamo de antigas realidades, a quem não daremos a partir de agora tanta importância pois, ano novo, é significado de vida nova, momentos novos, renovados, passado para trás. " Estou vazia, para que aqui entrem coisas novas".

O nosso instinto é o de seguir em frente, sempre.


C.C

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Alívio

 
Tenho estado um pouco ausente.. apesar do tempo. A minha vontade para escrever não tem sido a mesma, já não é mais uma necessidade desesperadora de desabafo, agora é como um suspiro de alívio, e uma introspecção acerca de tudo.
A minha vontade para escrever, já não é mais um desabafo desesperador, agora alegro-me por dizer que, escrevo quando me apetece e sobre o que me apetece.
    É como se o mundo tivesse dado uma volta de 360º graus, ou pelo menos aparenta a uma grande volta completa e radical a todos estes anos.
Já não somos as mesmas pessoas, mudámos e fizemos por isso, merecemos agora isto, esta liberdade, este grande suspiro. Já falamos e rimos das coisas passadas, que outrora eram o tema de conversa em qualquer mesa, tema de destaque na nossa mente, em qualquer situação estava presente e não nos deixava sequer respirar, criava aquele clima pesado e inoportuno.
Já pensaste que, por vezes és injusto, e que dizes muitas coisas sem pensar.

    Fico grata por já não estarmos assim, sem disputar nada, nem ninguém como seres selvagens e raivosos; sem trocarmos palavras, sem trocarmos gestos. Como se fôssemos completos estranhos, que passam na rua.
Somos agora mais sinceros, as verdades são logo ditas na hora, já não há aquela 'discriminação' ridicula, ou pelo menos não tanta, já nem a sinto.
Continua assim, o ambiente está já bem mais limpo e respirável, a nossa vida torna-se assim mais alegre e a nossa mente agradece.

Estou em completa paz de espirito, quanto a este nosso assunto. Espero que não voltemos ao zero, não faças por isso, peço-te.



C.C