expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

domingo, 14 de outubro de 2012

Uma Carta



Querido Pai,

   Por favor, peço-te que pares de fazer de tudo o que acontece no dia-a-dia um drama, uma birra quando as coisas não acontecem como tu queres, quando alguém faz alguma coisa de tão pouca importância e do qual tu fazes uma cena. Lamento desiludir-te mas as pessoas à tua volta não são meros objectos dos quais tu controlas, manipulas e insultas quando te apetece e que tens em mente que não podem ser livres de fazer suas vidas e tomar as suas opções normalmente, sem pressões nem medos. Estou farta das tuas birras volta e meia constantes, dramas e climas pesados que tu próprio fazes questão de criar. Que desapareças de repente sem razão nenhuma e só voltes quando te apetece quanto a isso lamento que ninguém te saiba dar um valente stop que te abra os olhos.  Quanto a isso, pode ser que um dia me engane e seja eu mesma a abrir-te os olhos da maneira mais rude e cheia de ódio e aí pode ser que te apercebas da pessoas que és e volta e meia te transformas.


C.C 


2 comentários:

  1. Não sabia que te sentias assim :/
    revejo-me um pouco em ti... e revejo o meu pai no teu também...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois :/
      são coisas das quais eu não falo muito e que já estou um bocado farta. :/

      Excluir

Obrigada pela tua visita! Responderei a todos os comentários na respectiva publicação.

C.C