expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sábado, 2 de abril de 2016

Back to fossa.



Sim leram bem, de volta à fossa. Quem me conhece à pelo menos uns 6 anos sabe perfeitamente o que quero dizer com isto. Desde essa altura que uso a expressão "estou na fossa" sempre que estou "na merda" e essa expressão nunca fez tanto sentido como agora. Decidi dar um tempo antes de falar alguma coisa aqui na blogosfera pelas razões óbvias. Visto tratar-se de pormenores da minha vida pessoal acho que é sempre preferível resguardar-me o mais possível. Como este acaba por ser um espaço que me diz muito e que me ajuda bastante a desabafar, why not? Que se foda.

O que se passou foi que estou novamente desempregada "Yay me", após um turbilhão de acontecimentos positivos na minha vida que aconteceram de um momento para o outro, tipo chuva de dinheiro e glitter caídos do céu (foi pelo menos assim que me senti na altura) que referi aqui num post anterior, isto sucede e não podia estar mais na fossa do que estou agora (e agora o sentimento é exactamente o oposto). O que posso dizer mais!? Hmm, se calhar para começar sou uma pessoa um bocado (um bocadão para ser mais correcta) ingénua e por isso as pessoas abusam de mim à força toda, à bruta. E isto não é uma coisa que me aconteça assim muito, mas neste plano acho que é um bocado grave e preocupante. 
À bruta no sentido em que fazem as coisas e nem se dão ao trabalho de se justificarem nem nada que se pareça e então limitam-se a paninhos quentes para fazerem melhor figura. É caso para chocar, a ficha caiu-me quando cheguei a casa porque realmente a minha expressão facial foi nula durante o tempo todo e por mais que houvesse coisas a dizer, da minha boca apenas saiu um; eu não estava de todo à espera disto. Porque realmente não estava, não havia quaisquer motivos para pensar que isto pudesse sequer acontecer.

Com isto, permitem-me que vos diga que, se acham que está tudo a correr muito bem, desconfiem a sério. A vida vai acabar por vos cagar em cima eventualmente. Pelo menos, falo por experiência própria.  Os motivos ? Nem eu sei quais os motivos, foi todo um show de paninhos quentes e muitas desculpas e largos elogios. Não vale a pena entrar em detalhes, simplesmente senti-me enganada e realmente estúpida o tempo todo e principalmente no final quando já tinha a sentença feita ainda estar a ser o mais profissional possível e a ser o mais simpática e sorridente para todos, como um dia normal e mesmo para os que agiram mal comigo. Se agiram de má fé eu não sei, mas sinceramente não agiram da forma mais correcta e eu como ingénua que sou não me apercebi de nada.

Pelos vistos o nosso esforço e o nosso melhor desempenho, não chegam. Saí de cabeça erguida e tranquila que fiz um trabalho exemplar, não tenho quaisquer preocupações quanto a isso porque sei que sempre dei o meu melhor e nunca tive queixas de que tivesse feito algo de muito errado ou mau que justificasse algo assim. 

O que realmente me preocupa agora é mesmo o dia de amanhã. Tentar começar de novo é que realmente me assusta porque já tive assim antes e durante uns quantos meses e não é nada fácil. Tentar não soltar uns palavrões daqueles bem feios que não se devem dizer a ninguém também é uma tarefa que tenho desempenhado porque a revolta, diga-se de passagem, é muita.


C.C

Um comentário:

  1. Pensamento positivo que algo de melhor está para vir .
    Força *

    ResponderExcluir

Obrigada pela tua visita! Responderei a todos os comentários na respectiva publicação.

C.C