expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Sobre mim | A vida adulta em 10 pontos cruciais


Oioii !

Tudo bem por aí?? :)

Hoje trago-vos um post um pouquinho diferente do que tem vindo a ser costume abordar por aqui apesar de já o ter feito algumas vezes e vocês saberem que este blogue nunca teve um objectivo especifico e nunca só dedicado a um ou dois temas. O que se passou foi que, eu tenho um rascunho já guardado à imenso tempo (uns bons meses) com alguns tópicos do que pretendia abordar e agora concluído decidi partilhar com vocês.  Às vezes temos ideias, mas apenas ideias e nunca o conteúdo exacto por onde queremos enveredar não é verdade? Então, eu vou anotando em rascunhos e acrescento uma coisa aqui e ali e deixo "maturar" até pegar naquilo novamente e desatar a escrever que é basicamente o que me está a acontecer neste preciso momento em que escrevo incessantemente deitada na cama com o portátil nas pernas e a ouvir música de fones nos ouvidos (amo). 

Hoje o que vos trago aqui é uma pequena mas preciosa lista de 10 coisas que me fui apercebendo com a chegada à vida adulta. Todos os pontos que menciono são testemunhos da minha própria experiência, das minhas vivências e algumas delas acreditoque muitos de nós não tenhamos o hábito de falar com ninguém. Isto soa um bocado cliché, mas acho que vocês vão ler e rever-se em pelo menos um ponto. Vamos ver?

#1- Começas a deixar de poder estar presente em qualquer tipo de evento. sejam eles aniversários, almoçaradas, jantares, eventos familiares ou qualquer outro evento em que as pessoas se reúnam. Isto se fores como eu e não tiveres um trabalho normal como eu costumo chamar, que implica teres folgas fixas ao fim-de-semana.

#2- Atendendo ao ponto #1, como começas a perder este tipo de "coisas" na tua vida, começas também a partir daí a dar cada vez mais valor aos momentos com a família e amigos e a sentir saudades dos tempos em que estavas sempre presente.

#3- Começas a dar mais valor ao dinheiro. Custa a ganhá-lo e todos sabemos disso ou se calhar muitos só se apercebam verdadeiramente quando chegam a esta fase. Sabe bem chegar ao fim do mês e tê-lo ali disponível, lindo e intacto e poderes sempre comprar algo para ti que queiras à muito tempo, ou simplesmente mimar-te de vez em quando, mas por outro lado, também pensas duas vezes antes de o fazer. E quando tens mesmo de dispender de uma grande quantia? Até choras (literalmente) porque te saiu da pele, não é verdade?

#4- Começas também a enaltecer e a descobrir capacidades tuas, tanto pessoais como profissionais que nunca pensaste ter provavelmente; ao mesmo tempo, começas também a aperceber-te de pontos teus menos bons como fraquezas, dificuldades, whatever. (Em muita coisa boa tem de haver algo menos bom, não é verdade?) Mas calma, para equilibrar aqui a situação, aquilo que aprendi foi que ao tomares conhecimento destes teus pontos (os bons e os menos bons), mais tarde ou mais cedo aprendes também a melhorar ou simplesmente a dar a volta à situação a teu favor). Enaltece aquilo que tens de bom. Esforça-te! Tenta ser melhor ! Os teus pontos positivos vão acabar por sobressair ! Se algo correr mal, segue em frente e tenta de novo mais tarde noutro local.

Estamos em constante aprendizagem. Eu aprendi isso de mim mesma, a partir de experiência própria e algumas pancadas na parede.

#5- Começas a fazer planos para o futuro. E se és como eu, começas a planear às vezes muito à frente. Por um lado é óptimo mas por outro, e se as coisas saírem todas ao lado? Pode ser muito bom ou muito decepcionante. Cuidado. No meu caso, é mais eu ter o J. a puxar-me para a terra porque já estou lá no cimo, toda eu a dançar nas nuvens cheia de planos cor de rosa e ideias e mais ideias e demasiados objectivos a looongo prazo (yahh). Pensa nas coisas com calma, pensa sim no futuro, mas não te esqueças do presente, ok?

#6- Começas a prezar cada vez mais pela estabilidade, tanto pessoal como profissional. É importante termos as coisas na nossa vida sólidas  e não me refiro apenas à parte financeira; as amizades e a família são um pilar importante, sem dúvida. Aprendi que só devemos preocupar-nos com quem se preocupa connosco e é aí que se vai subtraindo e ficando apenas os que importam para a tua vida dali para a frente. 

#7-  Começas a dar valor aos momentos que estás sozinho, sossegado no teu canto, na tua casa tanto quanto os momentos que passas com os amigos à volta de uma mesa. São momentos valiosos, raros e que valem ouro. Os momentos sozinhos porque simplesmente sabe bem, chegarmos a casa e não haver ninguém ali por um período de tempo sem ninguém a chatear. Simplesmente tu, a tua comida e a televisão ou o computador à frente (sabe tão bem) ah e de preferência a chover lá fora.

#8- De um momento para o outro vai acontecer um fenómeno chamado Big Bang, perdão Baby Boom, que é basicamente o fenómeno de quando toda a população feminina do teu circulo familiar, de amigos, de antigos colegas de escola, ex-amigos, colegas de trabalho e conhecidos decide popular a terra com novos seres humanos. Em poucas palavras: 
Fica tudo grávido, basicamente!! Do nada, sem motivo aparente e sem aviso prévio... É uma praga D:


#9- Cresces não só fisicamente como o teu interior também se desenvolve. Não é à toa que a nossa personalidade vem ao de cima e se torna mais vincada nesta altura. O que acontece é que começas a apurar ou aperfeiçoar o teu "eu". A tua maneira de ser, os teus gostos, os teus traços mudam ou "amadurecem" e é isso que depois de permite "destacares-te dos demais" ou ser igual a tantos outros. Isto é, começas a deixar mais  de parte aquilo que os outros vêm, comem, usam, falam sobre, ouvem, etc. Pode acontecer tu reparares que tens gostos, estilos que se calhar são diferentes dos das pessoas à tua volta e por vezes isso pode ser um "choque" para os que te rodeiam, por exemplo o tipo de música que ouves. O que importa é sentires-te bem na tua pele. Ouve aquilo que te arrepia verdadeiramente e usa aquilo com que te identificas e te sentes bem. 

Deixa a tua marca no mundo.



#10-  Por fim para finalizar esta lista imensa (por agora não em estou a lembrar de mais nada, se me lembrar está prometido que depois conto-vos): vão aprender a engolir alguns sapos volta e meia ao longo da vossa vida principalmente a nível profissional. Se têm a língua comprida por exemplo, mantenham-na dentro da boca ou cortem-na. Se estão mal, tentem aguentar ao máximo até arranjarem alternativas não deitem é tudo a perder. Mais uma vez, por experiência própria. Life is hard, e isto não é nenhum cliché é a mais pura das verdades. Uns dias estamos um máximo e noutros estamos à beira de um precipício. Just hold your shitt together e esperem por dias melhores. Acreditem, vão acabar por ser recompensados de qualquer forma mais tarde ou mais cedo.



Resultado de imagem para being adult gif


Agora a grande questão: quem é que se identificou? Contem-me tudo que eu quero saber.

Espero que tenham gostado e que acima de tudo, este post vos tenha sido útil em algum momento das vossas vidas ou que vos tenha feito rir, isso já me deixaria imensamente feliz.

See yah later, alligator ! *


C.C

3 comentários:

  1. identifiquei-me com tudo, mas mesmo assim continuo a achar que sou uma criança xD

    ResponderExcluir
  2. Identifiquei-me com quase tudo. Acrescento que, com a idade, gosto cada vez mais da pessoa que sou, das pessoas que tenho comigo.

    ResponderExcluir

Obrigada pela tua visita! Responderei a todos os comentários na respectiva publicação.

C.C